Kobra transforma muros em obras de arte pelo mundo

Em passagem por Jundiaí, o muralista Eduardo Kobra bateu um papo com a reportagem do Acontece Jundiaí e contou um pouco de sua trajetória. Da pichação dos muros na periferia de São Paulo a um dos maiores muralistas do mundo, com obras espalhadas pelos cinco continentes, Kobra não nega suas origens.

Aos 41 anos e consagrado mundialmente pelos murais e grafites ao redor do mundo, ele não se acanha em dizer que começou, aos 12 anos, pichando muros no bairro onde morava, em Campo Limpo, em 1987.

Trinta anos depois, Kobra é hoje um dos artistas de rua mais conhecidos do mundo e, embora não assuma, abriu portas para muitos grafiteiros no Brasil. Da pichação nos muros da periferia de São Paulo, onde se restringia a assinar seu nome, seus traços evoluíram, se converteram em forma e cores, e alcançaram uma identidade, se espalhando pelas ruas de São Paulo em forma de grafites, murais e pinturas 3D em pavimentos.

Autodidata, não frequentou escolas de arte. “Minha escola foi a rua, aprendi de forma natural, naquela época a arte de rua não tinha este glamour de hoje”, assinala.

Maior mural do mundo “Todos somos um”, feito para a Rio 2016, reconhecido pelo Guiness World Records

O artista conta que foi desbravando territórios, sem saber onde daria. E olha que Kobra foi longe. Já pintou em 30 países, como Estados Unidos, Holanda, Emirados Árabes, África do Sul, e Japão, e é autor do maior mural do mundo “Todos somos um”, feito para a Rio 2016, reconhecido pelo Guiness World Records.  “Tive coragem de fazer o que gosto, não planejei sair do Brasil, não tinha expectativa de chegar tão longe. Foi passo a passo, percorrido em 30 anos de trabalho intenso”, relata.

Com inspiração em grafiteiros americanos da década de 80, Kobra percorreu seu caminho até conquistar identidade própria. Hoje, é ele quem inspira meninos a ingressarem na arte de rua.  “No início copiava os grafiteiros americanos, até me sentir seguro no desenho. Fui me aprimorando e comecei a pintar coisas que acreditava e aí começou a fazer sentido”, salienta o artista.

Mas o caminho percorrido pelo grafiteiro nem sempre foi colorido como  em seus murais e grafites. Quando começou a pintar os muros da cidade, a arte de rua era vista como algo marginal. E, de certa forma, Kobra contribuiu para quebrar com este preconceito no Brasil. “Hoje a arte de rua é mais valorizada. Com a tecnologia e as redes sociais este tipo de arte ganhou visibilidade e isso contribuiu para as pessoas entenderem seu significado, abrindo portas para outros artistas”, entende.

Inspiração

Com tantas obras espalhadas pelo mundo, o que não falta é inspiração para Kobra, que imprime em seu trabalho sua visão de mundo. História, memórias, proteção animal, preservação ambiental inspiram grande parte de seus desenhos.

“Muros da Memória” busca transformar a paisagem urbana através da arte e resgatar a memória da cidade

Em  “Muros da Memória” busca transformar a paisagem urbana através da arte e resgatar a memória da cidade. Síntese do seu modo peculiar de criar, por meio do qual pinta, mas também adere, interfere e sobrepõe cenas e personagens das primeiras décadas do século XX, esse projeto é uma junção de nostalgia e modernidade, resultando em pinturas cenográficas, algumas monumentais.

A série de murais tridimensionais permite ao público interagir com a obra. A ideia é estabelecer uma comparação entre o ar romântico e o clima de nostalgia, com a constante agitação característica dos grandes centros, como é São Paulo hoje.

A pintura em 3D sobre pavimentos consiste em “enganar os olhos”

A pintura em 3D sobre pavimentos consiste em “enganar os olhos”. A pintura pode parecer distorcida em certo ângulo, mas, vista do ângulo correto se “torna” 3D, apresentando uma incrível variação de profundidade e realismo.

O mais recente projeto do artista, chamado “Green Pincel”, visa combater artisticamente os vários tipos de agressões do homem a natureza e ao meio ambiente.

“Green Pincel” visa combater artisticamente os vários tipos de agressões do homem a natureza e ao meio ambiente

 

Por Viviane Rodrigues
Fotos: Divulgação

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *