Espetáculo ´A Ira de Narciso` é destaque no palco do Sesc Jundiaí

Neste sábado (03), o teatro do Sesc Jundiaí recebe o espetáculo A Ira de Narciso, do autor franco-uruguaio Sergio Blanco. A montagem brasileira do espetáculo foi realizada por Yara Novaes, a atuação é de Gilberto Gawronski e a tradução de Celso Curi. A peça tem única apresentação neste sábado (3), às 19h. Os ingressos estão à venda pela internet e na bilheteria da unidade.

Seguindo a linha de auto-ficção de Sergio Blanco, a encenação é um monólogo em primeira pessoa que relata a permanência do autor na cidade de Ljubljana, onde é convidado a dar uma palestra sobre o famoso mito de Narciso. Tendo como ambientação única o luxuoso quarto 228 do hotel onde o autor está hospedado, o texto apresenta os últimos preparativos desta conferência ao mesmo tempo que nos conta sobre os diferentes encontros com um jovem Esloveno que acabara de conhecer. A partir da descoberta de uma mancha de sangue no carpete, o relato da viagem profissional e dos encontros amorosos dá lugar a uma intriga policial obscura e inusitada. Alternando sutilmente narração, palestra e confissão, a ‘Ira de Narciso’ é uma jornada fascinante e arriscada que conduz o espectador num confuso labirinto do eu, da linguagem e do tempo.

Os ingressos custam R$ 5,00 (credencial plena), R$ 8,50 (meia) e R$ 17,00 (inteira). Classificação indicativa: 18 anos.

Mais atrações

O final de semana conta também com a presença especial do ator e contador de histórias François Moïse Bamba, de Burkina Faso, que se apresenta dentro do projeto do Sesc SP – Oralidade e Narrativas da África do Oeste. No sábado, das 14h às 18h, ele ministra a oficina A Oralidade como Base para a Educação. No domingo, às 16h, ele apresenta o espetáculo Palavras de Mulheres do Meu Vilarejo.  Tanto a oficina quanto o espetáculo são gratuitos e contam com tradução para o português de Laura Tamiana. Inscrições e retirada de ingressos podem ser realizadas na central de atendimento, com uma hora de antecedência.

O ator e contador de histórias François Moïse Bamba ministra a oficina A Oralidade como Base para a Educação.

François Moïse Bamba foi iniciado na arte do conto por seu pai e criado em estreita relação com a tradição da cultura e da arte griot de Burkina Faso, país ao oeste da África.

Na oficina, a partir de dinâmicas em torno da arte de contar, dos repertórios tradicionais e da busca da palavra pessoal de cada um, o artista busca transmitir a riqueza das culturas orais da África do Oeste, convidando os participantes ao exercício da partilha e da confiança em si.

O espetáculo Palavras de Mulheres do Meu Vilarejo se inspira nas mulheres do povo Sénoufo, cuja cultura matriarcal privilegia o lugar da mulher, e narra pequenas histórias, contos, mitos que essas mulheres (avós, mães, tias, irmãs, primas, amigas) transmitiram.

Da Redação
Fotos: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *