Las Vegas: o glamour dos hotéis e cassinos

Las Vegas é praticamente uma cidade de uma rua só! Mas sabe aqueles ditados do tipo: “o que acontece em Vegas fica em Vegas” ou “se beber  não case!”, é tudo verdade. A Strip de Las Vegas é a avenida mais famosa, movimentada e divertida do mundo. Nela estão os hotéis, cassinos e as tradicionais despedidas de solteiro.  Serviu de cenário para vários filmes e também é terra do rei Elvis Presley.

Construída em meio ao deserto, no estado americano de Nevada, segundo a NASA, vista do espaço Las Vegas é a cidade mais iluminada do planeta. E não é por acaso. Aqui estão os melhores shows, as feiras e eventos mais importantes do mundo. A diversão na Capital do Entretenimento começa pelos  hotéis. Estou hospedada no Stratosphere Tower, o mais procurado por quem gosta de emoção.

O Stratosphere Tower tem 350 metros de altura e uma vista incrível de Las Vegas. Mas os atrativos por aqui são os brinquedos como o SkyJump que só os muito corajosos são capazes de encarar. Se você quer emoção, mas em doses um pouco menores, outras atrações também são capazes de disparar qualquer coração. O Insanity o levará a rodar no céu, sem chão. Já a X-Scream é um desafio a não gritar; um misto de montanha-russa e gangorra, este brinquedo leva à ponta do prédio, em alta velocidade. A sensação é de ser jogado lá de cima. Quem quer ainda mais altura pode tentar o Big Shot; é impossível não sentir um frio na barriga neste elevador ao livre.

O Luxor é um hotel em forma de pirâmide, tem uma grande esfinge na entrada. Por dentro, estátuas de faraós dão o clima sugerido pelo tema.

Las Vegas Hotel Luxor

O MGM é o maior da cidade, com mais de 5 mil quartos e um grande leão dourado na entrada. Por dentro, florestas úmidas com elefantes e girafas, restaurantes rústicos e uma vitrine com um leão sonolento.

Excalibur, um dos mais bonitos, reproduz Camelot, com a corte do Rei Arthur e seus cavaleiros. No castelo-hotel de torres medievais coloridas, os funcionários se vestem como príncipes e princesas, e circulam com a desenvoltura de quem é parte daquele cenário.

Las Vegas hotel Excalibur

O Venetian tem réplicas dos palácios Doge e Ca’d’Oro, com a Ponte Rialto e a Torre do Campanário, célebres pontos turísticos da cidade italiana. A reprodução é levada tão a sério que é possível fazer passeios de gôndola por um canal à frente do hotel, com gondoleiros cantando o Sole Mio, como acontece em Veneza. Às margens desse canal, sem os pombos, a bela Praça de São Marcos se estende diante dos olhos, geralmente incrédulos, dos turistas.

Las Vegas hotel Venetian

Para os românticos, Paris. Com a Torre Eiffel da altura de um prédio de cinquenta andares, o Arco do Triunfo, a Ponte Alexandre III, a fachada do Louvre e uma ruela que nos remete ao bairro de Montmartre, dá para imaginar que estamos na capital francesa. Principalmente, se fecharmos os olhos e deixarmos que os sons dos realejos que compõem a cena sirvam de trilha sonora.

Las Vegas Hotel Paris

No Bellagio, outro hotel de apelo italiano, a grande atração são as fontes que dançam ao som de música clássica. Aliás, os espetáculos que cada hotel oferece durante o dia são verdadeiras superproduções: o Treasure Island, por exemplo, mostra uma verdadeira batalha entre piratas, com barco que afunda, fogos e muitas luzes, um espetáculo que impressiona adultos e crianças. E o melhor: é de graça.

Las Vegas Bellagio

Já o Mandalay Bay simula uma praia na sua piscina com ondas, aprovada pelos surfistas. Seus quartos são enormes, os mais sofisticados da cidade e no aquário, uma surpresa: em vez de peixinhos coloridos, ferozes tubarões dão as boas-vindas aos hóspedes.

Las Vegas é um show dia e noite.

Em comum, todos os hotéis têm os cassinos. Frequentados dia e noite, não fecham nem para a faxina. E mesmo que o jogo não esteja no programa, não há como fugir do tilintar de moedas. Depois de uma semana em Las Vegas, as pessoas voltam ouvindo, por vários dias, o barulhinho das máquinas, que não param de funcionar e das moedas caindo, a cada jogada. Nada grave, mas acontece. Os cassinos são enormes, coloridos, barulhentos, iluminados, movimentadíssimos por gente de todas as partes do mundo, que chegam lá em busca do seu maior divertimento: o jogo.

Os cassinos não têm janela, de forma que não dá para ver anoitecer ou amanhecer. Daí, os jogadores perdem a noção do tempo e muitos deles passam mais de 24 horas jogando. A bebida servida aos jogadores é free. E, muitas vezes, a hospedagem também. Assim como os shows e espetáculos da cidade são uma cortesia dos hotéis para hóspedes-jogadores especiais. Muitos deles são tão assíduos na cidade que, com o tempo, esses mimos vão sendo oferecidos graciosamente pelo hotel em que costumam se hospedar. Um show de Celine Dion ali, outro de David Copperfield aqui, um outro de Elton John, o Cirque de Soleil… Opções não faltam. São sempre megaproduções, os grandes espetáculos que estão em cartaz, na cidade.

Durante o dia, sob o calor do deserto, a programação é andar pelos shoppings dos hotéis, ligados uns aos outros por passarelas, esteiras e escadas rolantes. As melhores lojas de planetas estão ali, com os últimos lançamentos, as últimas coleções. Uma sugestão é o Fórum Shopping do Ceasers, cujo teto amanhece e anoitece como num passe de mágica.

Mas a sugestão são os outlets da cidade. Ao sul da Strip, a uns 5 quilômetros do Excalibur, fica o Outlet Premium South, com mais de 130 lojas. Calvin Klein, Diesel, Guess, Gap, Armani, Michael Kors e Hugo Boss estão lá. Os preços são bem acessíveis e é possível encontrar calça jeans e camisetas por 25 dólares. Mesmo com o dólar a 4 reais, os valores podem ser considerados razoáveis. O outlet Premium North, com mais de 150 lojas, é maior, mas tem o inconveniente de ser descoberto. Para comprar eletrônicos, o lugar é a Fry’s, onde os preços são imbatíveis. E eles ainda cobrem qualquer oferta online da concorrência. O Walmart também está presente em Las Vegas e lá é possível comprar, além de comida, roupas e eletrônicos, com ótimos preços.

 

Conceição Pacheco
Fotos: Divulgação

Conceição Pacheco

Conceição Pacheco

Conceição Pacheco é jornalista, mestranda em linguística pela Unicamp, e uma mulher apaixonada por viagens! Ela compartilha seus roteiros no Blog Viagens em Conta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *