Expoflora – Mostra de paisagismo e decoração traz ideias inovadoras

Sugestões sustentáveis e ideias de decoração reutilizando materiais estão presentes em praticamente todos os 19 ambientes da Mostra de paisagismo e decoração da Expoflora nesta edição de 2018, coordenada pela arquiteta Karina Taccola. A Expoflora acontece em Holambra, a 140 km de São Paulo. O evento começa no dia 24 de agosto e vai até 23 de setembro, de sexta a domingo, das 9h às 19h. 

Tambores são usados não apenas para o plantio de flores, mas como sofá, porta-garrafas, porta-lenha e luminárias. A madeira de demolição e as cruzetas são utilizadas em móveis, decks, pergolados e pisos. Objetos antigos e de família integram harmoniosamente a decoração. Plantas de baixa manutenção, que exigem pouca rega, têm a preferência dos paisagistas em época de tempo seco.

Do it yourself” ou “Faça você mesmo” já é tendência na decoração. Tudo para aproximar as pessoas da natureza e incentivá-las a levar mais flores e plantas para os ambientes de suas residências, aumentando os momentos de relaxamento, de contemplação e estimulando o convívio com familiares e amigos. No Ambiente 05, do Ateliê “Decor Art” (foto), a artista plásticaMarisa Trippia criou a decoração e o paisagismo com base na projeção de suas telas e usou imagens em 3D para despertar sensações e ilusão de amplitude.
Confira a descrição de alguns ambientes:

Ambiente 01 – Quintal do Jardinista – Paula Britto (paisagista)

Inspirado nos jardins ingleses, caracterizados pela mistura aleatória, sem forma definida, de frutíferas, plantas, flores, hortaliças e PANCs (plantas alimentícias não convencionais), esse ambiente resgata a essência da jardinagem familiar. Com muita liberdade, as espécies são dispostas no piso, em estantes, em aparadores e em suportes no muro. Dálias, begônias de folhas, cineraria, ervas, hortaliças, roseiras e miniamor-perfeito foram escolhidos pela intensidade de cores e por não exigirem muito cuidado.

Ambiente 04 – Quintal Orgânico Sensorial, Bruna Zechinato (arquiteta e urbanista) e Pedro Galli (paisagista)

A proposta é mostrar diferentes possibilidades para um belo jardim com pouca manutenção, elaborado a partir de materiais acessíveis. A total permeabilidade do piso é uma das características mais marcantes do espaço, que também demonstra atenção à sustentabilidade e preservação dos recursos naturais com uso de cascas de pinus de reflorestamento, vasos cerâmicos fabricados a partir do barro e madeiras de demolições, dormentes de linha férrea e cruzetas de poste de energia.

Ambiente 7 – Na Calçada de Casa – Ana Dix (arquiteta) e Patrícia Küpper (arquiteta urbanista)

O paisagismo veio para a calçada para dar boas-vindas aos visitantes. O diferencial do projeto é a mistura de referências, uma tendência na arquitetura e paisagismo. O conceito foi conciliar estética e funcionalidade com soluções sustentáveis. Um caminho de piso drenante guia a visitação pelo ambiente até o deck de peças ripadas modulares com um banco simples, inspirado no mobiliário caipira, e ao jardim de chuva, recurso que concilia estética paisagística e auxilia na drenagem e retenção de enxurrada.

Ambiente 11 – Área de Banho e Relax – Cléia Thomazini (arquiteta urbanista, paisagista e decoradora)

Refúgio particular para relaxamento e controle de estresse, o ambiente oferece contato com a natureza e recursos para o bem-estar. Vários itens tornam a área do banho um spa ao ar livre. Da banheira com design futurístico e ergonômico para um momento íntimo, em meio a flores e plantas ornamentais, à decoração de telas vivas e velas incrustadas em troncos de árvores, o local foi cuidadosamente pensado para a elevação dos pensamentos e contemplação.

Da Redação
Fotos:Divulgação/Mateus Lustosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *