Agendamento para visitas ao Parque Ecológico Imigrantes será aberto dia 10

O Parque Ecológico Imigrantes (PEI) − uma realização da Fundação Kunito Miyasaka, foi inaugurado em novembro em um evento no Portal de entrada, com a presença de autoridades públicas, representantes de empresas e entidades.  A abertura do parque ao público consta como um dos principais eventos de sustentabilidade do calendário de comemorações dos 110 anos da imigração nipônica ao Brasil. A plataforma para agendar as visitas gratuitas estará disponível a partir do dia 10 de dezembro, com calendário aberto nas quartas-feiras.

Como um projeto que brota da força e dos cuidados com o meio ambiente impressos na história da cultura nipo-brasileira, o Parque Ecológico Imigrantes está localizado no coração da Mata Atlântica, no Km 34,5 da Rodovia dos Imigrantes, em São Bernardo do Campo. Após a inauguração, a operação se dará por meio de visitas gratuitas e monitoradas para o público, com agendamento prévio pelo site www.parqueecologicoimigrantes.org.br.

Próximo à cidade de São Paulo, será um espaço de contemplação da Mata Atlântica, que reúne em si a filosofia japonesa do Mottainai (termo que transmite a sensação de pesar em relação ao desperdício) e os conceitos de Sustentabilidade, que serviram como ponto de partida para a criação de formas, volumes e estruturas que valorizassem e permitissem o menor impacto possível ao meio ambiente. Além das premissas de acessibilidade para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, ecoturismo, construção sustentável, pesquisa, bioconstrução, educação ambiental, preservação das fontes de água e controle dos efluentes, o uso de energia limpa e a inclusão da comunidade local.

De acordo com o presidente da Fundação Kunito Miyasaka, Dr. Roberto Yoshihiro Nishio, “foram 11 anos de trabalho, esforço e superação de desafios para tornar realidade o primeiro parque do mundo a obter a certificação de sustentabilidade AQUA-HQE (Alta Qualidade Ambiental ou Haute Qualité Environmentale), aplicada no Brasil pela Fundação Vanzolini – conquistada por meio de práticas ambientais adotadas desde a concepção do projeto, passando pela execução, até o uso e operação das instalações”. O processo de certificação contou o trabalho de consultoria da Inovatech Engenharia.

Preservação ambiental

As características naturais da área onde o Parque Ecológico Imigrantes foi estabelecido é de Mata Secundária Tardia. Situado em um corredor de fauna, interliga as margens da Represa Billings com o Parque Estadual Serra do Mar. O principal cuidado tomado pelo comitê gestor e a equipe técnica do parque visou o menor impacto no ingresso ao terreno. Foram desenvolvidas ferramentas próprias de bioconstrução para que o trabalho seguisse em harmonia com a fauna e flora local.

Nesse sentido, o planejamento e a execução da engenharia de área natural, com manejo silvo florestal, respeito à topografia original, manutenção da permeabilidade do solo e gestão dos pontos de escoamento pluvial, foram fundamentais.

No processo, samambaias, orquídeas e bromélias, palmeiras, araçás, goiabeiras, entre outras espécies de vegetação, das áreas licenciadas para supressão, foram numeradas, extraídas e replantadas, uma a uma, em outros locais do parque, e formaram trilhas e praças temáticas que levam os nomes das flores.

Acessibilidade

 Os recursos disponibilizados pelo parque promovem uma nova forma de relacionamento com a natureza e o meio ambiente, contribuindo para a reabilitação física e psicológica dos visitantes.

Os canteiros de mudas do PEI propiciam experiências às pessoas com necessidades especiais. Trajetos facilitam a inclusão em atividades de ecoturismo, esportes e aventura.

Plataformas, rampas de acesso, bondinho em plano inclinado, corrimãos e recursos eletrônicos de áudio, assim como a Trilha Sensorial, permitem que cadeirantes, deficientes visuais e pessoas com necessidades especiais possam desfrutar do convívio com a natureza. O acesso ao parque atende à norma brasileira ABNT NBR 9050 de acessibilidade em edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos.

Construção sustentável

As soluções ambientais da construção do PEI começam no portal de entrada que recebe os visitantes. Na estrutura de aço reciclado, feita com perfis metálicos parafusados, estão embutidos a sucata equivalente a 130 carros populares; a flexibilidade de poder desmontar e remover a estrutura com facilidade no futuro; a montagem sem o uso de solda; a possibilidade de reciclagem no futuro e, por todas essas características, a redução de emissões de gases CO2. Além disso, as paredes facilitam a ventilação cruzada e a climatização, pois são feitas de chapas perfuradas.

A passarela elevada – principal local de circulação de pessoas pelo parque – que sobrevoa a floresta em meio à copa das árvores foi construída com a utilização da madeira plástica, essas estruturas são compostas por 70% de sobras de madeira, como serragem, e 30% de resíduos oriundos do pós-consumo de plástico, como no caso das garrafas PET.

Outro dado importante é que os materiais utilizados na construção foram comprados em locais próximos para reduzir o índice de emissão de CO2 no transporte e fortalecer a economia local. O uso de energia limpa proveniente de fontes renováveis foi outra preocupação do comitê gestor. Um sistema fotovoltaico e eólico para backup de energia, com 3 horas de autonomia, alimenta a rede de iluminação, inclusive a bomba d´água que irriga as áreas administrativas do parque e o lago.

Outro aspecto relevante na implantação do parque foi a gestão dos resíduos. Mais de 92% das sobras da obra foram valorizadas, muitas como material para a própria construção do parque. Para fazer a gestão dos materiais que seriam descartados, foi realizado um trabalho de monitoramento, triagem, valorização e redução do volume de resíduos encaminhados aos aterros.

Trilhas

São seis trilhas traçadas para a visitação. Nelas foram priorizados aspectos como pontos de beleza cênica, curiosidades da flora ou da história de interferência antrópica (ações do homem) na região, além de caminhos de acesso às estruturas físicas da unidade.

Para atender à diversidade de interesse e públicos diversos, traçou trilhas curtas, com poucos obstáculos, quase zero de desnível e trilhas longas, em meio ao relevo acentuado e comum à região das cabeceiras da Serra do Mar.

Em alguns trechos dos percursos foram aplicados modelos de reaproveitamento dos materiais excedentes e sobras das obras. E para a implantação, foi realizada a aplicação de estruturas e materiais com o propósito de transpor obstáculos naturais e minimizar o impacto no terreno.

Mata Atlântica

A Mata Atlântica é uma das áreas mais ricas em biodiversidade e das mais ameaçadas do planeta. A floresta representa 0,8% da superfície terrestre do mundo onde estão presentes mais de 5% das espécies de vertebrados. Uma região decretada reserva da Biosfera pela Unesco e Patrimônio Nacional do Brasil, na Constituição Federal de 1988.

A flora é exuberante, com estimativa de mais de 15.700 espécies presentes no bioma, cerca de 5% da flora mundial. Ao todo, são mais de 15 mil espécies de plantas e mais de 2 mil espécies de animais vertebrados, sem contar os insetos e outros animais invertebrados. Das 633 espécies de animais ameaçadas de extinção no Brasil, 383 ocorrem na Mata Atlântica.

A floresta abrangia uma área equivalente a 1.315.460 km2 e estendia-se originalmente ao longo de 17 Estados (Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, Alagoas, Sergipe, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí).

Hoje, restam 8,5 % de remanescentes florestais acima de 100 hectares do que existia originalmente. Somados todos os fragmentos de floresta nativa acima de 3 hectares, restam atualmente 12,5%.

Serviço

Agendamento pelo site: calendário aberto nas quartas-feiras, a partir do dia 12/12.

Site: www.parqueecologicoimigrantes.org.br

Endereço: Km 34,5 da Rodovia dos Imigrantes – São Bernardo do Campo – São Paulo

 

Da Redação
Fotos: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *