Florada da exótica Pitaya encanta e atrai visitantes no Sítio Bambuzal

Com uma plantação que atualmente chega a cerca de 3 mil pés, o produtor Roberto Komura, 40 anos, exibe com orgulho as pitayas cultivadas no Sítio Bambuzal, no bairro Guacuri, em Itupeva. Algumas unidades chegam a ultrapassar 600 gramas. Além da exuberância da fruta, que pertence à família dos cactos e se destaca pela beleza exótica, o que encanta mesmo é a florada, simplesmente mágica. As flores abrem durante a noite, em média uma vez por mês, e duram até o dia seguinte, antes do sol esquentar.

“O ideal é a visitação até as 9h, pois após esse horário as flores começam a murchar, devido ao calor”, relata Roberto, lembrando que o pico da produção ocorre neste período do ano,  se estendendo de dezembro a maio. “Se esfria atrasa a produção. No ano passado colhemos 18 toneladas e a previsão para a safra atual é chegar a 22 toneladas. A próxima colheita está prevista ainda antes do Natal. O intervalo oscila e tem variações influenciadas também pela temperatura, pois é uma fruta que se adapta bem na época de calor”, explica o produtor, que é um dos pioneiros na região e fornece para toda a região, além da Ceagesp. Roberto conta que veio de Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo, no final da década de 90, mas sua tia, Maria Tanaka, a proprietária do sítio, vive no local há 50 anos.

A plantação de pitayas, na área antes ocupada por parreiras de uva, é aberta ao público, com visitas agendadas, das 7 às 18h. A pitaya Hylocereus, tanto de polpa branca como vermelha, é a variedade produzida no local, há uma década. Atualmente a caixa com 8 unidades com preço direto ao consumidor custa R$ 35,00, enquanto a caixa com 11 frutas de tamanho menor sai por R$ 30,00. O ponto de colheita é determinado quando o fruto atinge a coloração de rosa a vermelho intenso na casca, com textura ainda firme.

Sobre a Pitaya

De clima tropical e subtropical, a pitaya pertence à família dos cactos, nativa da América Central e México, cultivada inicialmente em alguns países orientais. Apesar de ainda ser pouco conhecida pela grande maioria dos brasileiros, com beleza e cor que chamam a atenção, a fruta vem ganhando popularidade devido ao fácil manuseio, adaptação e considerável valor comercial. É uma ótima alternativa para a diversificação na propriedade agrícola e aumento na renda do produtor. Segundo Roberto, o cultivo chega a ser mais fácil se comparado à uva.

A fruta pesa, em média, entre 150 e 680 gramas e seu interior, que é ingerido cru, é doce e tem baixo índice calórico. Roberto revela que há cerca de dois anos uma fruta na propriedade chegou a pesar 980 gramas. Os valores nutricionais e benefícios provenientes à saúde são consideráveis. A pitaya é rica em fibras e minerais, principalmente fósforo e cálcio. Seu consumo regular auxilia em vários fatores, com efeitos antienvelhecimento, anti-inflamatório, nutrição da pele, controle do colesterol, regulador da depressão e ansiedade, diabetes, impulsionador do processo digestivo, emagrecimento, flora intestinal, melhor desempenho da imunidade, manutenção da visão, fortalecimento de ossos e dentes, osteoporose, sistema cardiovascular e sistema nervoso. Por conter caroteno entre outros antioxidantes, a pitaya é também um poderoso alimento que atua na prevenção ao câncer.

Visitas

O passeio e a contemplação, tanto na florada como no período que antecede a colheita, são indiscutivelmente o melhor aperitivo antes da degustação propriamente dita. Um verdadeiro espetáculo da natureza.

Para agendar visitas e obter informações sobre os dias de florada os telefones são (11) 4593-2005 ou 99655-0169, em horário comercial. O endereço é Rua Itaipu, 219, bairro Guacuri, Itupeva-SP.

 

Por Solange Poli

Fotos: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *