Sons da Terra em maio traz programação dedicada à música instrumental

Nesta sexta, dia 7, o projeto Sons da Terra, do Sesc Jundiaí, recebe o 5!, um quinteto que nasceu em 2015 com o desejo de unir dois dos maiores símbolos da música, o violão pela música popular e o quarteto de cordas pela música erudita. Os concertistas do grupo (Daniel Motta, violão; Juan Rossi, violino; Flavio Geraldini, violino; Renato Bandel, viola e Vana Bock, violoncelo) mantêm intensa carreira no Brasil e no exterior, além de desenvolverem trabalhos como solistas e cameristas. Para essa ocasião, eles escolheram interpretar “Embolada”, peça feita sob encomenda para o quinteto, pelo compositor e arranjador Paulo Belinatti, que participa do vídeo com um depoimento especial sobre a música.  A apresentação pode ser conferida a partir das 20h, nas redes do Sesc (Instagram Facebook Twitter Youtube).

O 5! tem como foco trabalhar com o violão, instrumento de música popular completamente disseminado por todas as camadas da população e com o Quarteto de Cordas, símbolo da música clássica, da sofisticação e da técnica apurada. A união desses dois elementos cria um ponto de contato imediato para o público de qualquer formação.

Juan Rossi (violino)

Natural de Florianópolis (SC), Juan Rossi iniciou seus estudos de violino aos oito anos de idade com o professor Jeferson Della Roca. Em 2008, formou-se como Bacharel pela Faculdade Carlos Gomes, em São Paulo, sob orientação da professora Elisa Fukuda e foi Vencedor do Concurso Cantareira de Violino. Deu continuidade em seus estudos na Universität Mozarteum Salzburg, Áustria, onde obteve o título de Mestre, em 2012, na classe do professor Benjamin Schmid.

Foi integrante de diversas orquestras no Brasil e na Europa, dentre elas a Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, Salzburg Chamber Soloists, Berliner Chamber Orchestra e Camerata Fukuda, como spalla. Atualmente é Professor do Instituto Baccarelli e spalla da Orquestra Filarmônica de São Caetano.

Flavio Geraldini (violino)

Nascido em São Paulo, iniciou seus estudos em Tatuí. Bacharel em Música com Habilitação em Instrumento (violino) pela UNESP, já se apresentou nos principais teatros dos EUA e Europa, além de integrar o Quarteto “Amabile” e Trio “D’Amore”.

Renato Bandel (viola)

É professor do projeto Orquestra do Amanhã, do Instituto Baccarelli, desenvolve atividades didáticas junto aos Festivais de Campos do Jordão, Festival Música nas Montanhas, Festival Internacional Música no Pampa, dentre outros.

Esteve por sete anos como músico convidado da Filarmônica de Berlim, no período em que estudou com Neithard Resa, líder das violas, e realizou concertos com a Filarmônica, sob regência de Abbado, Barenboim, Ozawa, Wand, Mehta, Haitink, Rattle e Harnoncourt. Realizou também gravações de CD e DVD com a orquestra.

Foi ainda aluno regular do curso de viola, sob orientação de Hartmut Rohde, na Universidade de Artes de Berlim e após se formar com nota máxima, passou a integrar a classe de solistas. Em Berlim, integrou a Ensemble Oriol Berlin e atuou como músico convidado na Orquestra Gulbenkian de Lisboa.

Vana Bock (violoncelo)

Iniciou seus estudos de violoncelo aos doze anos de idade, realizando a maior parte de sua formação musical na Escola Municipal de Música. Estudou com vários professores, entre eles, Gretchen Miller, Ricardo Fukuda e Antônio Lauro Del Claro. Foi integrante da Orquestra Experimental de Repertório, Camerata Fukuda, Orquestra de Câmara Villa Lobos e Cantilena Ensemble. Entre 2000 e 2003 foi bolsista da Fundação Vitae e do Ministério da Cultura, especializando-se em violoncelo e música de câmara na Academia Ferenc Liszt, em Budapeste, Hungria.  Já atuou como musicista convidada da OSESP e da Orquestra Bachiana Filarmônica, com a qual participou de concerto no Carnegie Hall e Lincoln Center, em 2007, 2008 e 2009. Foi violoncelista da Orquestra Jazz Sinfônica de 1998 a 2013. É violoncelista da Orquestra Sinfônica da USP e chefe de naipe na Orquestra Sinfônica de Jundiaí. Desenvolve vários trabalhos de música de câmara, bem como de música popular brasileira. Em 2014, participou de uma série de concertos na Academia Paulista de Letras, executando a íntegra dos Trios de Cordas de Beethoven e Quintetos de Cordas de Mozart. Desde 2009 é professora de cello na EMESP. É graduada em Terapia Ocupacional pela Universidade de São Paulo com especialização na Universidade Federal de São Paulo.

Daniel Motta (violão)

Nasceu em São Paulo, Brasil, onde obteve seu título de Mestre em musicologia pela UNESP (Universidade do Estado de São Paulo) e o Bacharelado em violão pelo Uni-FIAAMFAAM, tem dado concertos pelo Brasil e pela Europa. Atua como solista e músico de câmara, sendo finalista e ganhador de concursos nacionais. Tem trabalhos acadêmicos, como sua Iniciação Científica “O Violão e o Quarteto de Cordas”, uma referência na área, e sua tese de mestrado “Quadros de Uma Exposição” sobre transcrição para violão. Vive em Jundiaí há 13 anos.

Desenvolveu o projeto Pré-Concerto em parceria com a Orquestra Municipal de Jundiaí, ministrando palestras e encontros de apreciação musical para aproximar público e orquestra. Em 2013, Daniel Motta obteve o título de Master de Guitarra Clássica em Performance pela Universidad de Alicante – Espanha, sendo um dos 12 selecionados em todo o mundo para ter aulas com os maiores nomes do violão da atualidade.

“Embolada” e o compositor Paulo Belinatti

Paulo Belinatti é um dos pilares da música brasileira. Membro do grupo Pau-Brasil, ao lado de outros músicos não menos monumentais como Nelson Ayres, Teco Cardoso e Rodolfo Stroeter entre outros, é responsável por uma constante revolução na música brasileira, a ponto de não ser mais possível distinguir o que é música clássica do que é popular. Formado pelo Conservatório de Genebra, é um dos mais respeitados violonistas brasileiros em todo o mundo. Belinatti gravou uma dezena de discos solo e participou de shows e gravações ao lado de artistas como Steve Swallow, Carla Bley, Edu Lobo, Chico Buarque, César Camargo Mariano, Leila Pinheiro e Gal Costa, com a qual ganhou o “Prêmio Sharp 94” de melhor arranjador. Seus CDs lançados nos EUA, são referência de qualidade, entre eles o premiado “The Guitar Works of Garoto” (GSP-1991), sobre a obra de Aníbal Augusto Sardinha (Garoto), “Lira Brasileira” (GSP-1997), completamente autoral e “Afro-Sambas” (GSP-1997), em duo com a cantora Mônica Salmaso. Seu “Concerto para Dois Violões e Orquestra”, considerado um marco na história do violão brasileiro, teve estreia mundial em junho de 2012, com os solistas do Brasil Guitar Duo à frente da OSESP regida pelo Maestro Giancarlo Guerrero.

Embolada, peça encomendada e dedicada ao 5!, mistura o violão e o quarteto de cordas de maneira única. As improvisações são todas escritas e trazem um frescor extraordinário à composição. Violinos soam como rabecas, o violão como viola caipira, o violoncelo como cantador, e por vezes os instrumentos se embolam e trocam suas funções. Ouvimos influências claras de Heitor Villa-Lobos e de Tião Carreiro numa composição que tem tudo para se tornar um clássico do repertório depois desta gravação.

Sons da Terra

Lançado em 11 de setembro de 2020, o projeto musical Sons da Terra busca colocar em evidência compositores e intérpretes ligados à cidade de Jundiaí. Toda sexta-feira, às 20h, um novo artista tem a oportunidade de brindar o público com uma música de seu trabalho autoral.

Novas apresentações: toda sexta, às 20h

Onde assistir: nas redes do @sescjundiai de sua preferência

Instagram

Facebook

Twitter

Youtube

 

Da Redação

Foto/Crédito: Dani Gurgel

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *