Vivi Masolli encena texto de Tábata Makowski no Solilóquios

Nesta quinta, 10/6, às 20h, a atriz, palhaça e brincante Vivi Masolli entra em cena com “Labirintos“, de Tábata Makowski, para fechar a segunda temporada de Solilóquios, projeto do Sesc Jundiaí.

O texto nasceu a partir do diálogo entre a dramaturga e a atriz sobre temas relacionados ao corpo, ao medo, aos caminhos e às escolhas na vida. Daí a figura do labirinto como construção (conjunto de percursos intrincados com a intenção de desorientar espacialmente o corpo que os percorre) e como parte do corpo (região do ouvido ligada à audição, noção de equilíbrio e percepção do corpo no espaço). Por fim nasceram o texto e a performance “Labirintos” como uma ode aos corpos, às peles, às formas, às lutas, às belezas.

Para conferir a apresentação, acesse as redes do Sesc Jundiaí (Instagram Facebook Youtube).

Sobre a peça

“Antes de sabermos que texto teríamos no nosso projeto, o apelidamos de “Texto para Vivi”. Depois que ele ficou pronto, senti que poderia permanecer esse nome. Porque ele é exatamente isso, ele é exatamente eu! Em poucas conversas, Tábata Makowski conseguiu entrar no meu labirinto de medos e conhecer meus monstros. E com uma sensibilidade linda colocou no papel e transformou em poesia. Eu não tinha outra alternativa, precisava encarar com a mesma coragem e amor”, explica Vivi.

Sobre a atriz 

Vivi Masolli é atriz, palhaça e brincante. Começou seus estudos em 1992, no Teatro Escola Claudio Melo da cidade de Jundiaí. Profissionalizou-se em 2006. Sua formação engloba diferentes cursos, oficinas e workshops em linguagens diversas. Estudou com profissionais como Cacá Carvalho, Júlio Adrião, Tiche Viana, Anamaria Barreto, Lume Teatro, Jorge Balbyns, Daniela Biancardi e Claudio Albuquerque. Em 2014, começou seus estudos com música, canto e instrumentos de percussão com o grupo de maracatu “Tambores de Inkice” e os músicos Estevão Marques, Uirá Kuhlmann e Kleber Moura.

Em sua carreira como atriz atuou em diversos espetáculos teatrais, como “A Farsa do Falso Anel”, espetáculo de Commedia Dell’arte dirigido por Tiche Viana e patrocinado pelo programa Crer para Ver da Fundação Abrinq. “Jogos na Hora da Sesta”, texto de Roma Mahieu e direção de Jorge Julião. “As Noivas de Nelson”, texto de Nelson Rodrigues e direção de Marco Antonio Braz. “Marcelo Marmelo Martelo”, de Ruth Rocha, direção de Marcelo Peroni e direção musical de Estevão Marques. “A Falecida”, texto de Nelson Rodrigues, direção de Marco Antônio Braz, com Lucelia Santos, Walter Breda e Eduardo Silva. “Gordofolia”, com o Grupo Gatos Gordos, direção de Elena Cerântola e Gallo Cerelo. “Mundo Redondinho”, texto de Lisete Pecoraro e direção de Ana Roxo.

Na música, participou do grupo “Tambores de Inkice” e trabalhou como percussionista ao lado do pianista João de Luca no espetáculo teatral “A Pequena Sereia”, com direção de Marcelo Peroni. Atualmente é integrante da banda musical infantil “Trak Banda”.

Ao todo ganhou 18 prêmios de melhor atriz e melhor atriz coadjuvante em festivais de teatro de todo Brasil. Apresentou trabalhos em diversos estados do Brasil e também no México, Portugal, Áustria e EUA.

Sobre o projeto

Um recorte da dramaturgia brasileira produzida atualmente é o foco dessa 2ª edição de Solilóquios, projeto do Sesc Jundiaí lançado em outubro de 2020, que busca difundir a arte do teatro. Todas as quintas, às 20h, um espetáculo novo vai ao ar.

Da Redação
Foto:Divulgação/Sesc Jundiaí

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *