Conexões musicais

A música sempre fez parte da minha vida. Cresci em um lar repleto de fitas cassetes, vinis, canções de estilos e idiomas diversos, reuniões familiares e com amigos dos meus pais, regadas a cantorias improvisadas. Foram essas experiências e vivências marcantes que me despertaram para esse universo.

Meu pai era um verdadeiro pesquisador musical. Trocava correspondências (leia-se cartas) com pessoas do outro lado do globo em busca de novidades; ouvia rádios em outras frequências e ‘fuçava’ nos meios disponíveis tudo sobre música. Uma das felicidades que presencie foi a descoberta de um catálogo de discos de gravadoras internacionais. Ele encomendava as raridades que levariam anos para chegar ao país e aguardava ansiosamente pela chegada do pacote. Era impagável a felicidade dele e a nossa nesses momentos.

Sua coleção de vinis passa dos milhares e temos a honra de preservar esse verdadeiro tesouro. E era assim que ele tratava seus álbuns. Quando ‘emprestava’ algum deles para ouvirmos em nossas vitrolas, dava um jeito de supervisionar discretamente e dava bronca caso não concordasse com a maneira que manuseávamos os mesmos. Um capricho só.

E num ambiente desse, não poderia ser diferente. Mergulhada em tantos estilos, confesso que cada época vivi minhas preferências como música pop, latina, MPB, jazz, blues, instrumental, new age e o rock e suas vertentes. Ah o tal do ‘roquenrow’ me conquistou de uma forma que me levou aos grandes festivais aos 12 anos de idade, no  Hollywood Rock, proporcionou (e ainda proporciona) amizades incríveis e o reencontro de pessoas desse meio encantador. E foi a partir daí que surgiu a ideia criar o fanzine Insane Noise com a missão de divulgar as bandas independentes de Jundiaí, a conhecida “Seatle brasileira”, e também descobrir sons pelo Brasil.

Até hoje vivo essa ânsia de descobrir e compartilhar novos sons e talentos; curtir shows; ouvir minhas fitas cassetes, lps, CDs; prestigiar as apresentações dos/as amigos/as e sou muito grata por essas conexões e oportunidades que as viagens sonoras nos permitem.  “Só a música salva!” sempre foi meu lema e é com esse propósito que pretendo interagir nesse novo espaço que me sinto honrada em participar!

 

Ellen Fernandes

Ellen Fernandes

Jornalista movida a música, cultura, descobertas e boas notícias. Foi o interesse por cultura que abriu o caminho para a comunicação. Em meados da década de 90, 'pariu' o o fanzine Insane Noise com a missão de descobrir e compartilhar as viagens sonoras produzidas por bandas de garagem independentes. Roqueira assumida, tornou-se eclética com o passar dos anos.

3 thoughts on “Conexões musicais

  • Setembro 11, 2017 at 2:45 pm
    Permalink

    Oi Ellen, nos falamos sobre o Workshop de Dança Rock 50 que irei realizar. Passei o material mas ainda não saiu nada. Será na próxima quinta feira dia 14/09 será que ainda sairá algo?
    Obrigada,

    Reply
    • Setembro 11, 2017 at 7:33 pm
      Permalink

      Oi Jesseline, tudo bem? Recebi o seu material, vamos publicar amanhã. Obrigada!

      Reply
  • Setembro 13, 2017 at 6:27 pm
    Permalink

    tive o prazer de conhece – la na casa do Gumbrevicious, e agora tambem me torno seu seguidor, já favoritei a página

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *